Javascript desabilitado
Logo MPF nome Logo MPF

Procuradoria-Geral da República

Cooperação Internacional
26 de Abril de 2024 às 19h39

MPF discute com países vizinhos estratégia para combater crimes praticados em rios da fronteira com o Brasil

Reunião contou com autoridades da Colômbia, do Paraguai e do Peru, para desarticular rotas de tráfico e contrabando

Imagem do encontro com todas as autoridades sentadas em uma mesa em formato U

Foto: Antonio Augusto/Secom/MPF

Com o objetivo de fortalecer o combate a crimes transnacionais que utilizam vias fluviais nas fronteiras do Brasil, o Ministério Público Federal (MPF) se reuniu, esta semana, com representantes dos Ministérios Públicos da Colômbia, do Paraguai e do Peru. Os países discutiram estratégias e compartilharam experiências em casos que envolvem, principalmente, tráfico de drogas e de pessoas, além de contrabando de tabaco e outros produtos pelos rios Amazonas, Paraná e Paraguai. Realizado em Brasília, em parceria com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), o evento contou ainda com a participação do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Na abertura da reunião, o secretário adjunto de Cooperação Internacional (SCI) do MPF, procurador da República Daniel Azeredo, destacou a complexidade da atuação das organizações criminosas que utilizam rotas fluviais e a importância do alinhamento entre os países envolvidos. “É necessário que nós, agentes públicos, encarregados de combater esses crimes, tenhamos instrumentos eficazes, céleres, fortes e que ultrapassem os limites fronteiriços”, enfatizou.

O encontro serviu para fortalecer os instrumentos de cooperação jurídica entre os Ministérios Públicos dos quatro países e definir um plano de atuação conjunta para mapear as rotas utilizadas por traficantes e contrabandistas nos rios que cortam a região. “Nosso objetivo é que essa reunião seja apenas o começo de um acompanhamento contínuo e eficaz”, concluiu Azeredo.

Paraná – No primeiro dia do evento (24), o foco da discussão foi o combate ao crime organizado transnacional ao longo dos rios Paraná e Paraguai, que funcionam como rota de atividades ilícitas, sobretudo na Tríplice Fronteira. Estima-se que existam centenas de portos clandestinos às margens do Rio Paraná usados para contrabandear mercadorias, sobretudo tabaco, do Paraguai para o Brasil. O produto ilegal já corresponde a 20% do mercado brasileiro de cigarros.   

A procuradora da República Hayssa Medeiros apresentou a atuação do MPF em Guaíra (PR), na fronteira do Brasil com o Paraguai. Segundo ela, os criminosos utilizam veículos pequenos e rápidos para o transporte ilegal de cargas pelo rio. Em 2022, a Operação Capital, realizada na região, desarticulou uma organização que transportava cigarros contrabandeados usando a via fluvial.

Vejas as fotos do primeiro dia de evento

participantes do encontro sentados na mesa de discussõesAmazonas – No segundo dia (25), as autoridades discutiram o combate a crimes transnacionais na bacia do rio Amazonas, como tráfico de drogas e de pessoas, mineração ilegal, poluição ambiental, evasão fiscal, pesca ilegal de animais exóticos e tráfico de animais silvestres. Estudos apontam que, após a pandemia de covid-19, o rio passou a ser rota frequente para o tráfico de drogas. Entre 2014 e 2021 as apreensões de cocaína aumentaram cerca de 300% na região.  

A atuação do MPF na fronteira com Colômbia e Peru foi apresentada pelo procurador da República Guilherme Leal, que atua em Tabatinga (AM). O procurador ressaltou que os problemas se repetem nos países fronteiriços. "As organizações criminosas atuam da mesma forma, com os mesmos mecanismos, aparato técnico evoluído e deficiência estatal de segurança pública”, pontuou Guilherme Leal.

O procurador destacou ainda a recente criação no MPF da Unidade Nacional de Enfrentamento ao Tráfico Internacional de Pessoas e ao Contrabando de Migrantes. O grupo ficará responsável por identificar, prevenir e reprimir os crimes de tráfico internacional de pessoas e de contrabando de migrantes em todo o país.

Também participaram das discussões a procuradora regional da República Lívia Nascimento Tinoco e os procuradores da República Gustavo Borner e Walmor Alves Moreira. “É importante a aproximação dos membros do Ministério Público, visando atingir o objetivo comum de criar estratégias que nos deem agilidade e eficiência na troca de informações e de técnicas investigativas para reforçar o combate ao tráfico de drogas internacional que permeia as nossas fronteiras”, concluiu Lívia Tinoco, no encerramento do encontro.

Vejas as fotos do segundo dia de evento

Secretaria de Comunicação Social
Procuradoria-Geral da República
(61) 3105-6409 / 3105-6400
pgr-imprensa@mpf.mp.br
facebook.com/MPFederal
twitter.com/mpf_pgr
instagram.com/mpf_oficial
www.youtube.com/canalmpf

Contatos
Endereço da Unidade
 
 
Procuradoria-Geral da República
SAF Sul Quadra 4 Conjunto C
Brasília - DF
CEP 70050-900 
(61) 3105-5100
Atendimento de segunda a sexta, das 10h às 18h.
Como chegar
Sites relacionados
Área Restrita