Javascript desabilitado
Logo MPF nome Logo MPF

Paraná

Indígenas
9 de Dezembro de 2020 às 17h45

MPF acompanha denúncias de incitação de violência no Paraná

Repórter televisivo e policial teriam cometido discriminação contra indígenas

#pracegover Imagem de penas coloridas ao fundo escrito "Indígena" à frente.

Imagem: Secom/MPF

O Ministério Público Federal (MPF), por meio da Procuradoria Regional dos Direitos dos Cidadãos, instaurou uma notícia de fato para acompanhar uma denúncia de prática de incitação de violência e discriminação contra indígenas por parte de policiais e jornalistas no Paraná. As manifestações foram desencadeadas depois de um acidente em uma rodovia federal dia 11 de novembro, que suscitou uma série de situações envolvendo policiais e indígenas nos dias seguintes.

No dia 24 de novembro, o MPF instaurou a notícia de fato para averiguar a denúncia contra o repórter televisivo Luciano Alves, apresentador da Tribuna da Massa, programa transmitido pela TV Naipi, em matéria publicada no site "De Olho nos Ruralistas". A reportagem afirma que "o apresentador, ao tratar da questão teria, na edição de terça-feira (17), acusado 'os Kaingang, sem provas, de colocar óleo na pista da BR-277 para provocar acidentes e saquear os motoristas; e defendeu uma intervenção urgente das autoridades'". Segundo o documento, "em outro momento na mesma reportagem, o apresentador teria proferido as seguintes palavras: 'Agora vai ter mais: a polícia pode descer bala. Agora é bala de borracha, é bomba, é gás em cima desses índios. E que sejam punidos. Vocês sabem das regras, vocês não andam pelados, com a cara pintada, não têm aquelas gotas de prato não. Então vocês prestem atenção. Vocês vão para a cadeia. Quadrilha!'". A TV Naipi e o apresentador têm 15 dias para se manifestarem.

No dia 3 de dezembro, o procedimento foi atualizado para "Procedimento instaurado para verificar a prática de incitação de violência e discriminação contra os indígenas por repórteres, policiais e apresentadores de programa televisivo", depois que reportagem do site "Brasil de Fato PR" mostrou trechos de uma troca de conversas entre policiais e jornalistas em um grupo de mensagens virtual. De acordo com o documento, entre as frases discriminatórias proferidas virtualmente estão: "'Esses seres' não respeitam nada nem ninguém. Senta o dedo PRF. Fazer essas 'coisas' aprenderem na mara a respeitar a lei e os outros" e "Audácia. Alguém tem q fazer alguma coisa, tá difícil. Essa gente vai acabar matando mais pessoas inocentes na rodovia". O Comando da Polícia Rodoviária Estadual e a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Paraná têm 15 dias para se manifestarem.

 

Ministério Público Federal no Paraná
Assessoria de Comunicação
(41) 3219-8870/ 8843
Atendimento à imprensa: saj.mpf.mp.br

 

Contatos
Endereço da Unidade

Rua Marechal Deodoro, 933
Centro - Curitiba - PR
CEP 80060-010

(41) 3219-8700
Atendimento de protocolo administrativo e presencial ao cidadão - segunda a sexta-feira, das 13h às 18h

 

Saiba como falar com o MPF/PR sem sair de casa: atendimento virtual, por telefone ou pelo MPF Serviços

 

Protocolo eletrônico (pessoas jurídicas e órgãos públicos) 

 

Peticionamento eletrônico (para apurações em andamento)

 

Atendimento a jornalistas - das 10h às 17h

Como chegar
Sites relacionados
Área Restrita