Javascript desabilitado
Logo MPF nome Logo MPF

Pernambuco

Meio Ambiente
7 de Outubro de 2022 às 14h10

MPF requer que CPRH cumpra decisão referente à dragagem no Complexo de Suape

Autarquia deverá condicionar a expedição ou renovação de licenças ambientais para atividades de dragagem à previsão e execução de medidas mitigatórias e compensatórias

Arte mostra, ao fundo, foto de paisagem espuma do mar e areia da praia, e a expressão 'Meio Ambiente' escrita em letras marrons.

Arte: Secom/MPF

O Ministério Público Federal ajuizou requerimento para que a Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH) cumpra sentença proferida pela Justiça Federal que obriga a autarquia a condicionar a expedição ou renovação de licenças ambientais para atividades de dragagem no Complexo Portuário de Suape, em Pernambuco, à previsão e execução de medidas mitigatórias e compensatórias na região. A CPRH também deverá prever os impactos negativos à atividade pesqueira na área, bem como os danos causados às comunidades que vivem da pesca. O caso é de responsabilidade da procuradora da República no Cabo de Santo Agostinho/Palmares (PE) Ana Fabíola de Azevedo Ferreira.

A decisão judicial atendeu parcialmente pedidos feitos em ação civil pública ajuizada pelo MPF em 2011 contra Suape e CPRH, após serem constatados danos ambientais decorrentes de projeto de dragagem portuária que estabeleceu o "bota-fora" (área onde o material dragado é lançado) nas imediações da própria intervenção, causando aumento da turbidez da água e afetando a fauna marinha da região. O MPF considerou que a dragagem é potencialmente causadora de degradação ambiental, estando subordinada ao licenciamento ambiental, de acordo com resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama).

Na ação, o MPF destacou que, como consequência da dragagem, pescadores da Colônia Z-08, no Cabo de Santo Agostinho, relataram a ocorrência de impacto na atividade pesqueira, com danos de equipamentos e desaparecimento de pescado na região. De acordo com a decisão judicial, as medidas mitigatórias e compensatórias a serem executadas incluem mapeamento dos habitats submarinos na área de influência de Suape, mapeamento do território da pesca artesanal, proteção de espécies impactadas e sazonalidade das operações de dragagem, entre outras medidas.

Com relação a Suape, o processo atualmente tramita em grau recursal. No entanto, como nunca houve interposição de apelação pela CPRH, houve o trânsito em julgado da causa, no que diz respeito à autarquia. “O cumprimento da sentença é especialmente relevante diante das recentes notícias de que Suape pretende realizar novas dragagens. O tema foi objeto de reunião técnica ocorrida no dia 26 de setembro de 2022, na sede de Suape, com a presença de representantes da CPRH”, reforça a procuradora da República.

Processo nº 0005552-13.2011.4.05.8300 – 35ª Vara Federal em Pernambuco

Assessoria de Comunicação Social
Procuradoria da República em Pernambuco
(81) 2125-7348
prpe-ascom@mpf.mp.br
http://www.twitter.com/mpf_pe
http://www.facebook.com/MPFederal

Contatos
Endereço da Unidade

Av. Gov. Agamenon Magalhães, 1800
Espinheiro - Recife/PE
CEP 52021-170

(81) 2125-7300
Atendimento de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h

Sala de Atendimento ao Cidadão
(81) 2125-7310
Telefones de plantão (exclusivo para atendimento fora do horário de expediente):
- Procuradoria da República em Pernambuco, Procuradoria da República em Goiana e Procuradoria da República Polo Cabo de Santo Agostinho/Palmares: 
(81) 99303-0025
Procuradorias da República nos municípios de Caruaru e Serra Talhada, Procuradorias da República Polos Garanhuns/Arcoverde, Salgueiro/Ouricuri e Petrolina/Juazeiro: (81) 99442-5151

Sistema de Protocolo Eletrônico
- Destinado a órgãos públicos e pessoas jurídicas.
Portal do Peticionamento Eletrônico
- Destinado a cidadãos e advogados.
Assessoria de Comunicação Social (atendimento à imprensa)
(81) 2125-7348

Como chegar
Sites relacionados
Área Restrita