Javascript desabilitado
Logo MPF nome Logo MPF

Mato Grosso

Direitos do Cidadão
15 de Fevereiro de 2024 às 14h55

Manifestação reúne argumentos contra lei de MT que impede acesso a benefícios sociais por ocupantes irregulares de terra

Para procurador que atua em matéria agrária em Mato Grosso, norma viola o princípio da dignidade humana e ameaça movimentos sociais

Arte retangular com fundo azul e a expressão 'MPF em Ação' escrita em letras brancas.

Arte: Comunicação MPF

O Ministério Público Federal (MPF), em documento assinado pelo procurador que atua em matéria agrária no estado de Mato Grosso, aponta que a Lei Estadual nº 12.430/2024, que impede concessão de benefícios sociais, além de estabelecer outras sanções a ocupantes ilegais de propriedades rurais privadas e urbanas, viola o princípio da dignidade humana, além de apresentar uma série de outros problemas. O documento aponta possível conflito entre a lei, promulgada no dia 5 de fevereiro deste ano, e a Constituição Federal.

A Lei Estadual 12.430 estabelece como sanções a ocupantes ilegais e invasores de propriedades rurais e urbanas no âmbito de Mato Grosso a proibição de receber auxílio e benefícios de programas sociais do estado, de tomar posse em cargo público de confiança e de contratar com o poder público estadual. No documento, o procurador da República Matheus de Andrade Bueno aponta que, ao negar o direito à assistência social de pessoas como uma forma de sanção a quem participa de ocupações de terra, a lei potencialmente impede acesso à proteção estatal para a garantia do mínimo existencial, o que viola o princípio da dignidade humana.

De acordo com o procurador, a lei também acabaria por dificultar ou inviabilizar manifestações de movimentos sociais que têm como objetivo uma melhor distribuição de terras. Ela também afrontaria o direito social ao trabalho e à isonomia, ao vedar o acesso a cargos públicos por motivo que não seja a mera desqualificação pessoal para a função. Outro ponto destacado pelo representante do MPF é que a Lei Estadual acabaria por legislar sobre normas gerais de licitação e de contratação com o poder público, invadindo uma competência da União.

O documento, com as ponderações e os respectivos dispositivos constitucionais que podem estar sendo violados pela norma em vigor no âmbito do estado de Mato Grosso, foi encaminhado ao procurador-geral da República, a quem cabe analisar se é o caso de acionar o Supremo Tribunal Federal.

Assessoria de Comunicação
Ministério Público Federal
Procuradoria da República em Mato Grosso
saj.mpf.mp.br
(65) 3612-5133

registrado em: *PFDC
Contatos
Endereço da Unidade
MPF em Cuiabá
Jardim Cuiabá - Office & Flat
Av. Miguel Sutil, nº 1.120, Esquina Rua J. Márcio (R. Nestelaus Devuisky)
Bairro Jardim Primavera
CEP: 78.030-010
Cuiabá / MT

Outras unidades do MPF em MT
Cáceres
Sinop
Barra do Garças
Rondonópolis

Telefone: (65) 3612-5000

Horário de Atendimento
De segunda a sexta-feira: das 11h às 16h

Atendimento ao Cidadão
Telefone: (65) 3612-5000

Assessoria de Comunicação
Telefone: (65) 3612-5133
saj.mpf.mp.br

Como chegar
Sites relacionados
Área Restrita