Logo MPF nome Logo MPF

Rio de Janeiro

Meio Ambiente
11 de Fevereiro de 2020 às 11h20

MPF reforça pedido de paralisação parcial da Reduc em Duque de Caxias (RJ)

Entre outras medidas, o pedido busca a obrigação para cessar atividades que não observam a legislação ambiental até que haja regularização

Arte retangular com fundo verde, a ilustração de uma árvore branca, como se fosse uma silhueta, e a expressão 'Meio Ambiente' escrita em letras brancas.

Arte: Secom/PGR

O Ministério Público Federal (MPF) reiterou o pedido de imediata paralisação parcial da Refinaria Duque de Caxias (Reduc) em razão da não conformidade com a legislação ambiental. O pedido, ainda não apreciado, foi feito em ação civil pública que tramita na 2ª Vara Federal de Duque de Caxias (RJ).

Na ação, proposta em dezembro, o MPF defende a paralisação até que o lançamento de efluentes da Reduc seja realizado em níveis que atendam às normas técnicas previstas pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e outros órgãos ambientais. Subsidiariamente, em caso de não atendimento, a ação pede a determinação de que a Reduc reduza o lançamento de efluentes e adote medidas necessárias para informar ao Inea diariamente o quantitativo lançado, realizar a adequação da atividade produtiva aos padrões ambientais, além de não implementar novas intervenções na refinaria. O juízo da 2ª Vara Federal de Duque de Caxias optou por aguardar a manifestação para analisar os pedidos de tutela e deu o prazo de 30 dias para manifestação da Petrobras e do Inea, que se encerrou no dia 20 de janeiro de 2020.

Segundo o procurador da República em São João do Meriti Julio José Araujo Junior, a intervenção judicial é necessária, uma vez que o Inea, passados vários anos da constatação das irregularidades, não foi capaz de impedir a continuidade da poluição ambiental decorrente da operação da Reduc: “O meio ambiente não pode aguardar até o trânsito em julgado de uma decisão, que pode demorar até que eventuais recursos sejam julgados. As questões ambientais não podem e não devem tolerar a omissão do Poder Público e a proteção constitucional deficiente”, afirma.

Na ação civil pública, perícias afirmam ser a Reduc causadora de danos ao meio ambiente. Segundo um dos laudos, alguns dos efeitos não podem ser sentidos imediatamente, pois são indiretos e subletais. Contudo, a médio e longo prazo, causam a incorporação de substâncias carcinogênicas, morte ecológica, perturbação nos recursos alimentares dos grupos superiores, morte de larvas e recrutas e redução na taxa de fertilização. A Reduc é causadora de significativo impacto ambiental da Baia de Guanabara, manguezais e corpos hídricos adjacentes, bem como poluidora do ar.

Assessoria de Comunicação Social
Procuradoria da República no Rio de Janeiro
Tels: (21) 3971-9542 / 9543 / 9547
twitter.com/MPF_PRRJ

registrado em:
Contatos
Endereço da Unidade

Av. Nilo Peçanha, 31
Centro - Rio de Janeiro/RJ
CEP 20020-100

(21) 3971-9300
Atendimento de segunda a sexta, das 11h às 17h

Sala de Atendimento ao Cidadão:

Tel.: (21) 3971-9553

Consulta Processual: clique aqui

Atendimento à imprensa:

Tel.: (21) 3971-9542 / 9543 / 9547

Como chegar
Sites relacionados
Área Restrita