Logo MPF nome Logo MPF

Paraná

Combate à Corrupção
2 de Dezembro de 2019 às 16h20

Lava Jato: força-tarefa reitera pedido de condenação de gerente de banco suíço

David Muino Suarez participou da lavagem de mais de US$ 21 milhões, com atuação junto ao escritório panamenho Mossack Fonseca

Arte retangular, com fundo em tons de azul e a expressão 'Operação Lava Jato' em destaque

Arte: Secom/PGR

Em alegações finais, a força-tarefa Lava Jato do Ministério Público Federal (MPF) no Paraná requereu a condenação do espanhol David Muino Suarez pela prática, entre 2010 e 2013, do crime de lavagem de dinheiro de pelo menos US$ 21,7 milhões. Esse valor é proveniente de crimes de corrupção ativa e passiva no contrato firmado pela Petrobras para aquisição de 50% dos direitos de exploração do campo de petróleo de Benin, na África, em 2011.

Suarez era gerente da agência de Zurique do Banco BSI, na Suíça. As investigações demonstram que ele intermediou a constituição de três offshores junto ao escritório Mossak Fonseca, a Acona International Investments, a Sandfield Consulting e a Stingdale Holdings.

Após atuar como intermediário junto à consultoria panamenha, Suarez realizou a abertura das contas bancárias dessas offshores no Banco BSI, nas quais transitaram valores provenientes, direta ou indiretamente, dos crimes de corrupção relacionados ao campo de Benin, que já foram comprovados em três ações penais (nº 5027685-35.2016.404.7000, nº 5051606-23.2016.404.7000, e nº 5024879-90.2017.404.7000).

“O gerente bancário deve adotar uma conduta ativa de verificação da licitude das transações, não apenas solicitando informações aos seus próprios clientes, mas também buscando, em fontes a ele disponíveis (abertas ou não), informações sobre as empresas, pessoas e contratos envolvidos na operação”, afirmam os procuradores da força-tarefa Lava Jato em suas alegações finais. “A proatividade do réu se deu no sentido inverso, no sentido de viabilizar a constituição das offshores essenciais às etapas de ocultação, dissimulação e integração das propinas recebidas por funcionários da Petrobras.”

Ação penal nº 5055362-06.2017.4.04.7000
Chave 621139987217

Íntegra das alegações finais

Notícia relacionada:

Força-tarefa Lava Jato denuncia gerente de banco suíço que auxiliou corruptos a lavarem US$ 21,7 milhões em propinas

Lava Jato – Acompanhe todas as informações oficiais do MPF sobre a operação Lava Jato no site www.mpf.mp.br/grandes-casos/lava-jato.

 

Assessoria de Comunicação
Ministério Público Federal no Paraná

Atendimento à imprensa
Telefones: (41) 3219-8934/ 3219-8764/ 98700-2242
E-mail: prpr-ascom@mpf.mp.br
Site: www.mpf.mp.br/pr
Twitter: www.twitter.com/MPF_PRPR

Contatos
Endereço da Unidade

Rua Marechal Deodoro, 933
Centro - Curitiba - PR
CEP 80060-010


(41) 3219-8700
Atendimento de protocolo administrativo e ao cidadão - segunda a sexta, das 11h às 18h

Protocolo eletrônico: www.protocolo.mpf.mp.br

Peticionamento eletrônico: www.peticionamento.mpf.mp.br

Núcleo de Atendimento ao Cidadão:
Telefone: (41) 3219-8754

prpr-nac@mpf.mp.br

Denuncie aqui.

Como chegar
Sites relacionados
Área Restrita