Logo MPF nome Logo MPF

Ceará

Geral
4 de Maio de 2020 às 20h50

MPF, MPCE e Defensoria vão acompanhar implementação de ações para reduzir aglomerações em bancos de Fortaleza

Representantes das três instituições e o prefeito de Fortaleza discutiram enfrentamento ao problema

Imagem: Freepik

Imagem: Freepik

O Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) e a Defensoria Pública do Estado do Ceará (PDCE) vão acompanhar a implementação, pela Prefeitura de Fortaleza, de medidas para evitar a formação de grandes aglomerações no entorno de agências bancárias durante a pandemia do novo coronavírus. Em videoconferência realizada na tarde desta segunda-feira, 4 de maio, o prefeito Roberto Cláudio informou que o Município adotaria ações com o intuito de impedir que as constantes filas propiciem a transmissão da covid-19.


Na reunião à distância, os membros dos órgãos do Sistema de Justiça propuseram ao prefeito medidas de ordenamento das filas. Eles consideram fundamental uma melhor organização dentro e fora das agências. “Adotar medidas de organização de filas e fluxos para agências bancárias é muito importante, pois foi constatado que hoje é esse o maior motivo para aglomerações de pessoas dentro do isolamento em vigor", ressaltou o procurador da República Alessander Sales.

Por conta do auxílio liberado pelo Governo Federal, milhares de pessoas têm se dirigido às agências, especialmente nas sedes da Caixa Econômica Federal (CEF), e formam longas filas de espera nas portas, por vezes, com descumprimento as orientações de distanciamento social e não utilização dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Em pronunciamento nas redes sociais após a reunião, o prefeito Roberto Cláudio anunciou que a Prefeitura irá instalar grades de ferro em vias públicas no entorno dos bancos para aumentar o distanciamento entre os usuários. Outras ações serão analisadas. “Solicitamos também à Caixa que faça uma triagem, porque a informação que a gente tem é a de que quase 70% das pessoas que estão nessas filas não precisavam estar porque estão indo no dia errado ao banco”, afirmou o prefeito.

O prefeito e os membros do MPF, MPCE e DPCE voltarão a ser reunir por videoconferência na quarta-feira, 6 de maio, quando analisarão os primeiros impactos da medidas, que possuem previsão de implementação imediata.

As empresas financeiras estão sendo questionadas. A DPCE expediu ofício aos bancos solicitando que sejam apresentadas todas as medidas implementadas para evitar aglomeração de pessoas nas agências. “Não só a segurança dos usuários é obrigação do estabelecimento bancário. A saúde também. E grande parte do público que está nessas agências é idoso ou está em situação de extrema vulnerabilidade social, o que torna maior a necessidade da adoção de medidas eficazes”, pontua a supervisora do Núcleo de Direitos Humanos e Ações Coletivas (NDHAC), defensora Mariana Lobo. Da reunião participaram ainda as promotoras do MPCE Ana Cláudia Uchoa e Liduína Martins.

 

Com informações da DPCE

Assessoria de Comunicação
Ministério Público Federal no Ceará
twitter.com/mpf_ce


Informações à imprensa:
saj.mpf.mp.br
(85) 3266.7457 / 3266.7458

registrado em:
Contatos
Endereço da Unidade

Procuradoria da República no Ceará

Rua João Brígido, 1260

Joaquim Távora - Fortaleza/CE

CEP: 60.135-080

(85) 3266.7300 Fax: 3266.7443
Atendimento de segunda a sexta, das 9h às 17h

Sala de Atendimento ao Cidadão:

Telefones: (85) 3266.7363 / 3266.7501

Procuradoria Regional Eleitoral no Ceará:

(85) 3266.7310 / 3266.7465

Assessoria de Comunicação Social:

- Contatos para jornalistas:
(85) 3266.7457 / 3266.7458

Sistema de Protocolo Eletrônico
- Destinado a órgãos públicos e pessoas jurídicas.

Portal do Peticionamento Eletrônico
- Destinado a cidadãos e advogados.

Como chegar