Cooperação Internacional

16 de Março às 12h52
Por Debora Simões Teixeira Mourão

MPF participa de eventos internacionais para discutir cooperação internacional no âmbito da Lava Jato

Realizados no Peru, os eventos reuniram representantes dos países mais afetados pelos crimes investigados na operação

MPF participa de eventos internacionais para discutir cooperação internacional no âmbito da Lava Jato

Foto: SCI

O secretário de cooperação internacional adjunto do MPF, Carlos Bruno Ferreira da Silva, realizou missão em Lima nos dias 6 e 7 de março, proferindo palestras em evento da Escola do Ministério Público do Peru e em seminário organizado pela Transparência Internacional (TI), através da Proética, a sua divisão peruana, com apoio do Canadá e União Europeia.

Os eventos reuniram juristas e autoridades do Ministério Público e do Poder Judiciário de países da América Latina e Estados Unidos que estão atuando em processos relacionados ao caso da Lava Jato e teve por objetivo apresentar um panorama atual sobre o andamento da operação nesses  países, esclarecer questões sobre os sistemas judiciários locais e fortalecer a cooperação jurídica entre os envolvidos.

O que mais despertou o interesse dos participantes e da imprensa peruana em relação à investigação realizada pelo MPF não foram os aspectos de natureza confidencial, mas os progressos realizados até agora, os níveis de cooperação estabelecidos e o alcance de confidencialidade que esta cooperação e as regras que regem esses processos exigem. Também houve interesse em conhecer como foi o processo de homologação pelo Supremo Tribunal Federal.

Segundo o diretor executivo da Proética, Walter Albán, um dos motivos que levou a Transparência Internacional a organizar o evento foi que “dada a importância do caso Lava Jato em vários países da região e o grande volume de informações que circulam em torno dele, com frequência imprecisas ou falsas, tem havido confusão na opinião pública e em alguns meios de comunicação, atingindo pessoas normalmente bem informadas cujas funções ou atividades podem afetar direta ou indiretamente o desenrolar destes processos no Peru”.

Participaram do encontro representantes de sete divisões da TI em países nos quais a operação Lava Jato tem repercutido muito atualmente. Além do membro do MPF, a reunião contou com  expositores dos Estados Unidos, Brasil, Peru, Chile, Argentina, Canadá, Venezuela, República Dominicana e Colômbia.

A partir de convite da embaixada do Brasil no Peru, também houve visita de cortesia à representação diplomática brasileira por parte do membro do MPF. O procurador da república Carlos Bruno destacou que “a viagem foi de suma importância para expor os avanços institucionais do Brasil no combate à corrupção, fruto da parceria de vários órgãos públicos, inclusive o Itamaraty, com a PGR e demonstrar que há uma cooperação jurídica no combate à corrupção eficaz e intensa com os países da América Latina”.

Assessoria de Comunicação Estratégica do PGR
Procuradoria-Geral da República
pgr-noticias@mpf.mp.br
(61)3105-6400/6405