Logo MPF nome Logo MPF

Amazonas

Geral
11 de Outubro de 2019 às 12h55

Nota de esclarecimento

MPF no Amazonas esclarece sobre participação do Exército na Operação Korubo

Arte: Secom/PGR

Arte: Secom/PGR

Em relação à reportagem veiculada em 10 de outubro sobre a Operação Korubo, realizada para o combate ao garimpo ilegal na região de Jutaí (AM), o procurador da República Valdir Monteiro Oliveira Júnior prestou o seguinte esclarecimento sobre trecho narrando que “Exército se recusou a apoiar ação na região, diz MPF”:

O Exército Brasileiro, por meio do Comando Militar da Amazônia, não manifestou recusa ao Ministério Público Federal em apoiar a ação na região. Na verdade, o que ocorreu foi inviabilidade técnica para implementar o planejamento inicial, que consistia no transporte não só de agentes, mas também de embarcações pela via aérea. Além disso, devido a restrições nas horas de voo do helicóptero Blackhawk que daria o apoio, em um primeiro momento seria feita apenas a infiltração dos agentes, enquanto a exfiltração dar-se-ia por outros meios.

Por outras razões (entre elas, a necessidade de maior tempo de operação), foi articulada outra abordagem, que ao final contou com o apoio de helicópteros do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Polícia Federal. Tratou-se de uma opção adotada pelos coordenadores da ação, e não de uma recusa por parte do Exército Brasileiro manifestada ao Ministério Público Federal.

O relato de tal situação consta de documento que detalha tratativas para a realização da operação e faz parte de ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal para garantir a destruição in loco dos bens utilizados na prática dos ilícitos, em virtude da dificuldade de acesso à região.

O documento em questão serviu tão somente como memória dos procedimentos em curso, para nivelar o conhecimento dos interlocutores quanto ao estágio, naquele momento, das tratativas. Para completa elucidação, reproduz-se trecho do documento que trata da situação referida:

O planejamento inicial envolveria infiltração e exfiltração, por helicóptero, de agentes e embarcações em pontos específicos do rio, de forma a se levar a cabo uma ação de cerca de 5 ou 6 dias. Para tal, contava-se inicialmente com aeronave do Exército Brasileiro (Blackhawk).

Após interlocução com o Comando Militar da Amazônia, foi possível garantir apenas a infiltração, e, ainda assim, sem o transporte das embarcações, por inviabilidade técnica.

Por conta disso, houve um novo planejamento, elaborado pela Funai, dessa vez para uma operação de cerca de 12 dias. Neste novo cenário, haveria o transporte prévio das embarcações por via fluvial, mediante uma história de cobertura, infiltração aérea dos agentes e posterior navegação até Tefé, a partir de onde os participantes retornariam a suas origens por meio de voos comerciais.

Com esta mudança, notadamente quanto à duração da operação, a Polícia Federal indicou que seria necessário mais tempo de planejamento. Somando-se a isso outras intercorrências, infelizmente não foi possível realizar a operação no primeiro prazo pretendido.

Em conclusão, o procurador da República Valdir Monteiro de Oliveira Júnior destaca que o Exército Brasileiro, principalmente por meio do Comando de Fronteira Solimões/8º BIS, tem colaborado por diversas ocasiões com ações na cidade de Tabatinga e demais municípios do Alto Solimões, no Amazonas, área sob atribuição da Procuradoria da República no Município de Tabatinga.

Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República no Amazonas
(92) 2129-4734 / (92) 98415-5277
pram-ascom@mpf.mp.br
facebook.com/MPFederal
twitter.com/mpf_am

registrado em:
Contatos
Endereço da Unidade

Sede:
Av. André Araújo, 358
Adrianópolis – Manaus/AM
CEP 69057-025
Tel.: (92) 2129-4700


Anexo:
Av. Ephigênio Salles, 1570
Aleixo – Manaus/AM
CEP 69060-020
Tel.: (92) 3182-3100

Atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 15h.
Como chegar

Sede: Anexo: